Regiões: Ásia | Viagens ao Extremo



REGIÕES

Ásia

Ásia

O maior continente do mundo talvez seja também o mais diverso. Temos lugares onde se fala português misturado com chinês, em Macau; e sim, é possível e fácil visitar a Coreia do Norte – esqueça tudo que viu nas notícias, é um país fantástico; no centro da Ásia as culturas não mudaram, seja na Mongólia com seus povos nômades, no Turcomenistão com a herança difícil de entender deixada pelo seu falecido ditador; o fechado reino do Butão com seus templos à beira de abismos enormes do Himalaia; recomenda-se um roteiro duplo entre Israel e Jordânia, em que cada dia é uma aula sobre o passado; e o maior país do mundo (selecionamos somente roteiros alternativos e ao extremo para a Rússia). Bem-vindo à Ásia.

Esqueça os mísseis e o que a mídia fala. Quando se chega na Coreia do Norte, é como estar em outro planeta, mas que tudo parece funcionar. Claro que estará sempre acompanhado de dois guias coreanos e um ocidental de nossa operadora parceira com base na China, mas os norte-coreanos são pessoas afáveis, educadas e Pyongyang, a capital, pode ser considerada uma das cidades mais limpas do mundo. Com prédios monumentais e muitos monumentos ao fundador do país, Kim Il-Sung, terá experiências únicas, como ver os corpos embalsamados dos líderes, subir na Torre Juche para ter uma visão 360 graus da capital e até mesmo dar uma aula sobre o Brasil para estudantes do Ensino Médio no interior do país. Temos roteiros que começam em Pequim todos os meses do ano. Livre sua mente do que dizem e venha ver esse local parado no tempo mas com uma natureza e cultura milenar incríveis.

Foi com a entrega de Macau aos chineses em 1999 que terminou o império mais longevo do mundo, o Império Português. É um dos locais com maior densidade populacional do mundo, e o local onde mais se ganha dinheiro através do jogo no mundo inteiro, mais de sete vezes o que é arrecadado em Las Vegas. Comparando com Hong Kong, ex-colônia na China, Macau tem uma história colonial mais visível do que sua contraparte britânica. Caminhar pela cidade antiga te convence que está a caminhar em uma rua da Europa – se as ruas não tivessem as pessoas e placas em chinês, claro. As populações portuguesas e nativas de Macau continuam a manter uma presença mas, como esperado, a maioria da população é nativa da China.

Destino em implantação.

Se não fosse pelo litoral com o Mar Cáspio, o Turcomenistão seria uma nação sem saída para o mar. Perto de 80% do território é considerado parte do Deserto Karakum. A vida tradicional dos turcomenos é de pastores nômades, apesar de alguns terem se estabelecido em cidades por séculos. O país é conhecido pelos seus tapetes maravilhosos (um deles está até mesmo na bandeira do país!) e cavalos. O Turcomenistão é um país em desenvolvimento, mas ainda considerado pobre, apesar de bilhões terem sido gastos na modernização da capital Ashgabat, de Turkmenbashi e muitas outras cidades na era pós-soviética. Com um regime de governo bem incomum, o governo tem o controle firme de quase tudo. Oficialmente, o turismo é bem-vindo, mas é obrigatório que seja guiado, o que torna o país um destino um pouco caro. Assim como na Coreia do Norte, não se deve discutir política no país ou comentar sobre a onipresente polícia e militares.

Destino em implantação.

O nono maior país do mundo, tem mais que o dobro de território que todos os outros países da Ásia Central juntos. As pessoas nunca se importaram muito com o país pois possui poucos lugares históricos e a natureza é composta de uma estepe infinita. Mas ainda é o primeiro na lista dos viajantes que vão para a Ásia Central, há muito para o viajante intrépido explorar. O Cazaquistão é o país mais rico da Ásia Central, devido às suas grandes reservas de petróleo e gás natural. O país é, também, o maior do mundo sem saída para um oceano. Os cazaques nativos são uma mistura de tribos nômades Turkic e Mongol que migraram para a região no século 13, se unindo como um só país no século 15. A região foi conquistada pela Rússia na segunda metade do século 19 e o Cazaquistão acabou por se tornar uma República Soviética em 1936.

Destino em implantação.

A China é um daqueles destinos difíceis de definir, pois todos já têm um conceito pré-definido do país. Com a maior população do mundo, faz fronteira com 14 países. A civilização chinesa, com mais de 5 mil anos de existência, passou pelos milênios com tumultos e revoluções, períodos de “eras de ouro” e até de anarquia. Através do crescimento explosivo recente iniciado pelas reformas de Deng Xiaoping, a China é mais uma vez uma das nações-líderes do mundo, baseada na sua enorme população industrial e recursos naturais abundantes. A profundidade e complexidade da civilização chinesa, com sua rica herança, fascinou os ocidentais, tais como Marco Polo através da Grande Rota da Seda e mais maneiras de intercâmbios culturais nos séculos passados, e vai continuar a animar – e deixar loucos (no bom sentido) – o viajante ao extremo de hoje.

Destino em implantação.

A Mongólia é um país sem saída para o mar entre a China e a Rússia. É um vasto vazio que liga a terra ao céu, e é um dos últimos poucos lugares no planeta onde a vida nômade ainda é uma tradição presente. A palavra Mongólia pode ter vários significados geopolíticos, culturais e geográficos. A Mongólia de hoje se consiste na Mongólia Exterior. A província da Mongólia Interior é geograficamente e politicamente separada e localizada no norte da China, ainda assim possui fronteira com a Mongólia. Com somente 1,7 habitantes por km², a Mongólia possui a menor densidade populacional dentre todos os países do mundo, e seu vasto e majestoso vazio, que é exatamente o apelo do país, trazendo o turista em busca do extremo, causa uma comunhão próxima entre a natureza e seus habitantes nômades.

Destino em implantação.

O Azerbaijão é uma ex-república soviética no Cáucaso e variando de acordo com a fonte, o colocam como parte da Europa e outros, como da Ásia. A maior parte da população (mais de 90%) é composta de azeris, que dividem uma cultura muito similar com a Turquia. Historicamente, com influências russa e persa, deixou os azeris do Azerbaijão e Irã com algumas diferenças moderadas. Sua capital, Baku, é a maior cidade do Cáucaso e fica na costa do Mar Cáspio, com mais de 3 milhões de habitantes. Grandes companhias aéreas voam para lá, incluindo a Aeroflot, Austrian Airlines, Azerbaijan Airlines (AZAL), Turkish Airlines, Lufthansa, Qatar Airways e outras menores, incluindo a low-cost WizzAir, com voos saindo de Budapeste.

Destino em implantação.

Pela maior parte da sua história desde a independência do Reino Unido em 1946, a Jordânia foi comandada pelo rei Hussein (1953-1999). Um líder pragmático, ele navegou com sucesso através das pressões competidoras dos poderes maiores dos Estados Unidos, União Soviética e Reino Unido, vários Estados árabes, Israel, e uma vasta população palestina interna, através de várias guerras e tentativas de golpe. Em 1989 ele convocou eleições parlamentares e gradualmente permitiu a liberalização política; em 1994, foi assinado um tratado de paz com Israel. Hoje seu filho está no poder, consolidando seu poder e estabelecendo suas prioridades domésticas, incluindo um programa econômico agressivo. Não há hostilidades entre muçulmanos e cristãos, e a Jordânia é uma das nações mais amigáveis e liberais na região apesar de, ao mesmo tempo, manter uma sensação autêntica de estar no coração do Oriente Médio.

Destino em implantação.

Apesar de sua paisagem natural impressionante, a imagem mais forte do país para a maioria dos visitantes é a de cultura e tradição que reúnem o Reino do Butão e claramente o distingue de seus vizinhos. O Butão é a única nação budista Vajrayana do mundo, e os ensinos profundos dessa tradição estão bem preservados e exercem forte influência em todos os aspectos da vida. Devido ao seu ambiente inigualável e sociedade harmoniosa, o pequeno Reino do Butão é chamado de “A Última Shangrilá”.

Destino em implantação.

O Nepal é um país sem saída para o mar entre a China e a Índia. Contém 8 das 10 maiores montanhas do mundo, incluindo o Monte Everest – o maior do mundo – na fronteira com o Tibete (região autônoma da China), e Lumbini, local de nascimento de Gautama Buda, fundador do Budismo. Tendo sido uma monarquia por centenas de anos, o Nepal foi declarado como uma república em 2008. Os visitantes ao Nepal geralmente associam a nação à picos de montanhas com neve. Apesar de contar com mais de 90 cumes com mais de 7 mil metros de altura, aproximadamente um terço do país consiste de planícies com clima subtropical. A altitude da nação sobe de menos de 100 metros de elevação no tropical Terai até Sagarmatha (Monte Everest) – a maior montanha do mundo, com 8.840 metros de altura.

Destino em implantação.

O Tajiquistão é um país sem saída para o mar na Ásia Central. A antiga Rota da Seda passava por ele. A nação persa é única pois a maior parte da cultura é não-Turkic, ao contrário dos seus vizinhos (Quirguistão e Uzbequistão). Só uma pequena faixa de terra separa o Tajiquistão do Paquistão (faixa essa pertencente ao Afeganistão). Por grande parte de sua história, o Tajiquistão foi parte dos impérios persas. Foi uma importante região para o florescimento da cultura e língua persa. Na história recente, o Tajiquistão passou por três trocas de governo e uma guerra civil de cinco anos até ganhar a independência da União Soviética em 1991. É fácil chegar a Dushanbe, a capital do país. Existem voos de conexão em Moscou, Istambul e Dubai.

Destino em implantação.

Mais um país que dispensa apresentações – o local da criação do Cristianismo. É um país pequeno mas diverso no Oriente Médio com um longo litoral no Mar Mediterrâneo e um pequeno litoral no Mar Vermelho. Faz fronteiras com o Egito, a Faixa de Gaza, Jordânia, Síria e Líbano. A parte leste, a Cisjordânia, está sob ocupação militar israelense desde 1967. Em adição às maiorias populacionais árabes palestinas vivendo nessas regiões, o Governo de Israel construiu várias habitações na Cisjordânia, assim como nas Colinas de Golã. Israel é considerado parte da Terra Santa (em conjunto com regiões da Jordânia, Egito e Territórios Palestinos). As três maiores religiões monoteístas do mundo – Judaísmo, Cristianismo e Islamismo), todas têm laços históricos com a região. Mas Israel também possui uma cultura moderna e vibrante, baseada em parte nas origens diversas dos imigrantes.

Destino em implantação.

Conhecido como Pérsia até 1935 no mundo ocidental, apesar do nome nativo ter sido Irã desde sempre. O Irã se tornou uma república islâmica em 1979 após o xá ser forçado a se exilar. Forças clericais conservadoras subsequentemente exterminaram qualquer traço ocidental e também quaisquer influências liberais ou de esquerda. Os assuntos-chave que hoje preocupam o país incluem a aceitação de influências modernizadoras exteriores, reconciliação entre o controle clérigo do regime e a participação popular no governo, e demandas generalizadas por reformas. O local é habitado desde a Pré-História. Os antigos persas chegaram em 1500 a.C., uma parte de um grande movimento que também trouxe povos do norte da Índia e da maior parte da Europa. O nome “Irã” tem a mesma origem que a palavra “ariano” a qual, até Hitler a perverter, era só um antigo nome para esses estrangeiros que chegavam. Não deixe de visitar Persépolis, com ruínas impressionantes de uma vasta cidade construída há 2.500 anos, perto da atual cidade de Shiraz.

Destino em implantação.

O Sultanato de Omã fica no Oriente Médio, na Península Arábica. É considerado o país mais pacífico de toda a região. Até o sultão Qaboos Bin Said ter exilado o antecessor em 1970, Omã era uma nação subdesenvolvida, e praticamente fechada ao turismo. Desde aquela época, a educação, o serviço público e o turismo dispararam no país. Os nativos de Omã são uma gente amistosa e ajudam muito os turistas. Em contrapartida, os turistas devem respeitar os modos e tradições do povo de Omã. Eles são muito orgulhosos do rápido desenvolvimento de seu país e sua herança como uma das grandes nações de navegadores. Excelentes escolas e hospitais, boa governança, e melhorias na infraestrutura são todas importantes características dessa nação, que já foi introvertida e fechada.

Destino em implantação.

A Geórgia tem aproximadamente o tamanho da Irlanda e fica nas mesmas latitudes da Bulgária, sul da França e Nova York. Para um país de suas modestas proporções, possui uma incrível mistura de paisagens e climas, desde picos de altas montanhas até vales com vinhas e modernos resorts no litoral do Mar Negro. A Geórgia é um país em desenvolvimento que vem melhorando rapidamente com níveis muito baixos de crime e corrupção. Começando em meados dos anos 2000, a infraestrutura turística se expandiu substancialmente, e o número de turistas visitando a república do Mar Negro aumentou muito em número.

Destino em implantação.

O Quirguistão é um país da Ásia Central de incrível beleza natural e orgulhosas tradições nômades. Sem saída para o mar e montanhoso, faz fronteiras com o Cazaquistão, Uzbequistão, Tajiquistão e China. Anexado pela Rússia em 1876, conseguiu a independência da União Soviética em 1991. Tem a política de vistos mais liberal na Ásia Central e é um dos governos mais progressistas dos governos pós-soviéticos na região. A capital, Bishkek, é um exemplo de cidade czarista: em linhas retas, com boulevares com canais de irrigação e árvores grandes, prédios com fachadas de mármore, e complexos de apartamentos soviéticos. Muitos jovens turistas adoram a vida noturna de Bishkek e as pessoas são amistosas e muito hospitaleiras.

Destino em implantação.

O significado do nome uzbek é controversa. Uma versão diz que é derivado da língua Turkic “uzoz” (“bom” ou “verdade”) e “bek” (“guardião”). O Uzbequistão é rico em história. Samarkand foi conquistada por Alexandre o Grande. O Islamismo foi introduzido pelos árabes nos séculos 8 e 9. A Rússia conquistou o Uzbequistão no final do século 19. Uma resistência forte ao Exército Vermelho após a Primeira Guerra Mundial foi no final das contas reprimida e foi montada uma república soviética em 1924. O Uzbequistão conquistou a independência em 1991, após a queda da União Soviética. No papel, o país é uma democracia, mas foi governada de 1991 a 2016 pelo mesmo presidente, ano da sua morte. Agora os uzbeques estão clamando por melhora na economia nacional e para desfazer sua posição de isolamento do resto do mundo.

Destino em implantação.

O Sri Lanka, antigamente conhecido como Ceilão, é uma ilha ao sul da Índia no Oceano Índico. O Sri Lanka possui mais de 2.550 anos de história contínua escrita pelos meios do Mahawansha, e também foi mencionado em vários textos ancestrais indianos. Um dos mais famosos é o Ramayana, no qual a ilha, a qual era referida como Lanka, era a ilha-fortaleza do rei Ravana. E um conselho: nunca tire uma foto de costas para uma estátua de Buda. É uma contravenção.

Destino em implantação.

A Rússia é o maior país do mundo, cobrindo mais de um oitavo das terras habitadas do planeta, se estendendo ao longo do leste europeu e por todo o norte da Ásia. Em Vladivostok, no extremo da Rússia, você encontrará uma cidade que era banida para estrangeiros e hoje está em desenvolvimento (vale uma paradinha depois de uma viagem de trem pela Coreia do Norte). Ou então você pode fazer a longa Transiberiana, saindo de Moscou (ou São Petersburgo) e indo até Pequim, passando pela Mongólia. A viagem de uma vida.

Destino em implantação.